sexta-feira, 19 de dezembro de 2008


delirios...
delirios de uma alma sem par...
de uma flôr sem o seu desabrochar...

devaneios....
devaneios de tempos perdidos e alheios...
de explosões de amarras e freios...

sonhos...
sonhos presos e contidos...
rasgados em papeis esquecidos...

vontades...
vontades de abraçar o mundo...
de amaldiçoar cada segundo...

purezas...
purezas em simples alegrias...
em bolinhas de sabão coloridas...

pesadelos...
pesadelos vividos e escritos...
sonhados e convictos...

verdades...
verdades contadas em metades...
mentiras que encontram os seus pares...

quimeras...
as que caem em escadas imaginárias...
as que movem as sensações primárias...

amores...
amores quentes e dementes...
os que se iluminam as frentes...
os que dão de comer a quem tem fome...
os que dão de beber a quem tem sede...
os que aquecem quem tem frio...
os que preenchem o vazio...

palavras...
palavras que deixam marcas...
as que criam e apagam mágoas...

6 sonharam comigo...:

JE disse...

Que dizer? Não posso, não tenho palavras!!! Está lindo, lindo.
És o maximo, está espetacular.
Um beijo...

antonio - o implume disse...

Sim o maor pode saciar-nos, especialmente quando servido assim...

Alguém disse...

fantástico! É preciso ter muita sensibilidade :-)

beijinho

DANTE disse...

Boa escrita sem dúvida. Tendo a repetir-me mas , gosto do que leio mas não sei que dizer. Sorry :(

Jokas :)

OnlyMe disse...

As tuas palavras são sempre tão sentidas, plenas de emoção e realidade. É impossível não me identificar com elas.
Escreves muito bem e é um prazer para mim te ler, acredita!

Jinhos :)

Tiago R Cardoso disse...

nem sei o que diga...

não analiso apenas te elogio, grande escrita.

Feliz Natal.

Enviar um comentário